domingo, 17 de maio de 2015

QUE VENHAM OS TRINTA E UNS...

Hand lettering da música Velha e Louca de Mallu Magalhães
por Grazielle Santos Silva do Ideias em Conjunto
Então eu trintei... Morrendo de medo da velhice do corpo, dos limites da idade e atormentada pelo fantasma de todas as projeções que eu mesma fazia para mim com esta idade (e que nem de perto foram realizadas). Trintei com completo pavor de estagnação. E de todos os planos parados ou ainda não elaborados ficarem encalhados até morrerem no esquecimento. Pânico de ter que ser mais ponderada. Porque enfiar os pés pelas mãos, pisar na jaca, é tudo coisa de gente jovem, e eu já ia fazer trinta...

E ao fazer trinta minha alma atingiu o limite da inquietude. Sugiram uma série de porquês, tais quais aqueles que acometem as crianças de 5 anos. “Por que isso tem que ser assim?” “Por que não posso fazer diferente?” “Por que ceder?” “Por que não ceder?” “Por que continuar?” “Por que encerrar?” “Por quê?” “Por quê?”. Com a avalanche de perguntas uma série de respostas, novas visões de vários aspectos de minha vida e um novo impulso de fazer acontecer.

Confesso que nem todos os questionamentos que me rodeiam foram respondidos. Nem todos os medos banidos. Nem todos os problemas resolvidos. Nem todos os planos realizados. Mas, há algo de diferente em mim. 

Mudei porque mudar faz parte e porque só a gente pode mudar a si próprio. No entanto, continuo a mesma em essência: sonhos românticos, desejos novos e antigos emaranhados e planos constantes de conquistá-los um a um com determinação maior ainda do que há anos atrás.

E que venham os trinta e uns.


(Grazielle Santos Silva)

terça-feira, 5 de maio de 2015

A Magnífica Arte de Esperar

poster do filme a espera de um milagreAs coisas deveriam resolver-se instantaneamente em uma ligação, um e-mail ou uma ida ao balcão. Uma única conversa – simples e objetiva – deveria ser o suficiente para sanar qualquer problema de ordem burocrática. Aí não existiriam filas enormes, nem “volte amanhã” e muito menos o “entraremos em contato”. Esse último particularmente me irrita. Mas, como a maioria dos nossos problemas não tem uma solução tão prática assim, é preciso saber esperar. E haja paciência. Esperar requer calma, concentração e sangue frio. Se não se tem nenhum dos três, podem-se usar alguns artifícios. 

Tente contar até 100 de trás pra frente em japonês. Talvez ajude. Ou então respire fundo e visualize-se numa linda praia da polinésia francesa ao lado de alguém especialmente esculpido para você. Nada ainda? Que tal organizar seu guarda roupa? Certamente existem mil coisas fora do lugar e não haverá como lembrar daquilo que você está esperando. Se não funcionou, talvez fazer a receita de bolo da avó e pensar em um jeito dele não “solar” seja uma boa alternativa. No entanto, se nada disso der certo, junte-se a mim e a outros tantos desesperados que não aguentam mais esperar um telefonema, uma mensagem, uma resposta, a tal hora certa ou uma pessoa especial. 

Tanta ansiedade de fato não vai fazer o tempo acelerar, mas um dia a gente aprende a magnífica arte de esperar.

(Grazielle Santos Silva)


*Pôster do Filme "À Espera de um Milagre".

domingo, 3 de maio de 2015

Sonho

Sonho é para ser leve. Ainda que hajam obstáculos para sua realização, sonho não combina com pesar, mágoa ou tristeza. Porque sonhar existe mesmo para nos ajudar a alçar voo. E abrir mão de um sonho dói um bocado... porque ele é um pedacinho de nós.

No entanto, há vezes que ele perde a suavidade e carrega-se de angústia. Aí é preciso deixá-lo de lado, um pouco afastado, cuidando para não transformá-lo em pesadelo. É preciso resiliência e paciência para esperar todo sentimento ruim ir embora.

E então, passada a dor e toda carga negativa, recalcular a rota e retomar a busca pela realização do sonho.

(Grazielle Santos Silva)

terça-feira, 28 de abril de 2015

Ouse ser você

A gente aprende a ser comedido. Não contrariar os outros, as normas e obedecer sempre, ainda que não compartilhe da mesma opinião. A gente é ensinado a deixar-se de lado e pensar no todo o tempo todo. Esquecer-se pouco a pouco todo dia para o bem comum. Fazer o que não agrada para garantir a estabilidade. Os desejos, anseios, opiniões ficam de lado, abafados, guardados a sete chaves. E agir de forma contrária é pura ousadia. Como se ousar fosse um crime.

No entanto, acredito que a ousadia é uma dádiva. Ousadia é ser você todo dia, de forma autêntica, como só você sabe ser. Ousadia é correr atrás dos seus sonhos e não os deixar morrer ainda que precise mudar o percurso: porque seus sonhos são parte de você e abrir mão deles é abrir mão de si mesmo. Ousadia é a permissão que você dá a si mesmo de arriscar, tentar, errar, acertar e conseguir.

Sendo assim, ouse... para ser inteiro! Porque no fim das contas, é preciso ousadia para viver.

(Grazielle Santos Silva)

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Déjà vu

One step back!
And all my problems would be solved.

I should have followed my mind and stepped away.
But my heart always screams louder.
So
.
.
.
Here I am!

Same doubts, same fears...
And this déjà vu feeling that hunts me over and over again.
At least now I know how it’s gonna end…
Or not.

(Grazielle Santos Silva)


*Pôster do filme "Déjà vu".

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...