terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Na dose certa

Ele aparece assim, sem ser convidado, diante da vida, das dificuldades, da distância, das novidades. Há quem diga que ele é necessário e que sem ele não haveria coragem. É bem verdade que por sua causa agimos com ponderação. Mas às vezes deixamos de viver tanta coisa boa por conta dele... Por isso quero tê-lo na dose certa. Quero senti-lo em minhas veias por alguns segundos e superá-lo logo em seguida. Quero tê-lo sem o ter. E quero nele buscar força para ser maior, mais forte e mais decidida. Porque o Medo inevitavelmente aparece em nossas vidas, mas não dá pra viver com ele por muito tempo.

(Grazielle Santos Silva)

domingo, 10 de janeiro de 2016

Estrada-divã

Estrada bem comprida é muito boa para pensar. Apesar de achar que penso mais do que deveria, sempre levo em minha bagagem de mão algo para remoer caminho a fora. No fim das contas sempre há uma meta a ser cumprida, um caso mal resolvido ou um ato irrefletido para serem degustados com calma e atenção. Com o balanço do carro, as ideias vão se organizando, as soluções vão saindo de seus esconderijos e os problemas vão ficando pequenininhos. Sabe como é estrada, não é? Parece divã, onde a gente é terapeuta de nossas próprias vidas e nessas idas e vindas acabamos chegando ao lugar de onde nunca deveríamos ter saído: nós mesmos.

(Grazielle Santos Silva)

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

A Queda

c
... a
... ... í
... ... ... í
... ... ... ... í

lá do alto da escada
ah menina, danada!
fui mexer onde não devia...

e depois,
no chão estatelada
não pude fazer mais nada
não tive outra saída

... ... ... ... ... ... ... ... ... ...i...
... ... ... ... ... ... ... ... ...e
... ... ... ... ... ... ... ...t
... ... ... ... ... ... ...n
... ... ... ... ... ...a
... ... ... . .....v
... ... ... ...e
então... l

...e segui em frente!
porque, inevitalmente,
não havia mais o que fazer.

(Grazielle Santos Silva)

domingo, 6 de dezembro de 2015

É bom não me bastar

Tentei acreditar com todas as forças que eu sozinha me bastaria. Mas bastar-me em companhia às vezes é pouco. É bom ter alguém, um outro, um par, não necessariamente para me completar, mas para me acompanhar em meus devaneios. É bom ter por perto outra respiração, outro cheiro. Uma paixão para me tirar do eixo. Um porto seguro para me estabilizar. É bom ouvir outra opinião. Concordar, discordar, repensar, instigar. É bom calar. A dois. Viver a dois. Ser dois com tanta intensidade que dois se torne um. E é bom não me perder no meio desse caminho. Porque é bom e necessário que eu tenha a liberdade de vez ou outra estar novamente sozinha.

(Grazielle Santos Silva)

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Paixão

Meu corpo é todo paixão
do mais fino fio de cabelo
à pontinha do dedão

Sou regida pelo embalo
do descompasso do coração

E se por acaso [ou descaso]
na correria da vida
me falta essa impulsão

É tempo perdido
sem sentido
vão

(Grazielle Santos Silva)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...